Tudo ao Molhe e Fé na Desfolhada

Terça, 8 Outubro 2022
Coordenadores: Inês Barracha e Karl Own

Desfolhada + O Melhor Xerém do Algarve


Para eternizar esta tradicional atividade agrícola mascarada de festa, juntamo-nos para descascar umas maçarocas, fazer flores com a palha de milho, assistir à folclórica atuação do DJ Kobertor e terminar com a degustação e eleição do Melhor Xerém do Algarve.











Foi uma disputa amigável entre dois dos grandes Chefs da Gastronomia Algarvia, Leandro Araujo (Cafezique , Loulé) e Ricardo Luz (Al Sud - Palmares, Lagos) presentes também nosso famoso evento a Grande Caldeirada.
O milho esse foi do bom, biológico e gentilmente fornecido pela Quinta das Castelhanas!









Leandro Araújo - Chef Grande Caldeirada #1 
“É um chef com mundo mas com as raízes bem assentes no lugar que o viu nascer: o Algarve. Leandro Araújo formou-se na escola de hotelaria e turismo do Algarve em 2008 e passou por várias cozinhas – entre elas a do São Gabriel (estrela Michelin), de Leonel Pereira e a do Viajante, de Nuno Mendes em Londres – antes de, em 2019 tomar as rédeas do Cafezique com as suas receitas inovadoras. O restaurante coqueluche de Loulé que é também uma enoteca de distintivos vinhos portugueses.”
(The Art of Tasting Portugal)


Foi à luta com um original e aromático xerém frito com creme de amêndoa e flor de laranjeira.










Ricardo Luz - Chef Grande Caldeirada #2

“ Começou a sua carreira em cozinha no Tavares Rico, seguindo-se experiências no Vila Vita Parc, Pestana Palace e Penha Longa Resort. De seguida, passou pelo Grande Real Villa Itália Hotel e Macdonald Hotels & Resorts. Entre 2018 e 2020 foi subchefe de Louis Anjos no restaurante Bon Bon. Pelo meio, em 2019, venceu o Chefe Cozinheiro do Ano. Em 2021, mudou-se para o Palmares Ocean Living & Golf, onde atualmente é subchefe. A unidade hoteleira conta com um restaurante com uma estrela Michelin, Al Sud.”
(Edições do Gosto - Congresso dos Cozinheiros)


Atacou com um reconfortante xerém de gamba fresca feito em tacho de barro.








"xerém" e "xarém" se originam de um termo árabe (Zerem) que designa "papas de grãos". O xarém (xerém é aportuguesamento) e terá sido um legado deixado pelos mouros, no Algarve. O milho-miúdo é originário do Norte de África e Ásia.
A farinha de milho obtém-se dos grãos triturados na molineta (mó natural herdada dos Romanos). É com este milho mal moído que se faz o Xarém.


Depois da degustação e de uma aguerrida votação que quase terminou em empate, venceu o Chef Ricardo Luz! No final o que interessa é que todos se divertiram e deliciaram com ambas as propostas.

































Fotografia: Rita Barracha

Mais registos em: ︎ #modotudoaomolhe

Participa!

Toda a informação na página Tudo ao Molhe